Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sem Sentido

Um blogue sem sentido... de humor!

24
Out17

Vivo com uma amarração… há mais de 8 anos!

Ciganos.jpg

 

Ainda me lembro da segunda vez – mais parecia a primeira – que eu fui a Lisboa. Nunca mais me esqueço: fui direitinho a Belém!

 

Pastéis de nata?!

 

Nada disso. Fui direitinho aos jardins, à procura de uma cigana. Tinham-me dito que as ciganas eram exímias a ler as mãos e a prever o futuro e eu fui lá para crer.

 

Andava eu lá no parque, para lá e para cá, feito parvo, quando, de repente, vejo uma cigana e peço-lhe – sim, PEÇO-LHE, quase lhe implorando – para me ler a mão.

 

– Você vai ser um grande empresário.

 

[Juro que não tinha nada escrito na mão. Impressionante, não foi?!]

 

– A sério?!... Muito obrigado!

 

– São 10 euros.

 

– Pelo quê?! Por isto? Não me diga que não tem mais nada a acrescentar...

 

– Sim, tenho, mas tem de me dar a outra mão.

 

Talvez demasiado empolgado com aquela primeira revelação, sem hesitar, dei-lhe a minha outra mão para ela fazer outra leitura, como se, naquele exato momento, as minhas duas mãos fossem dois cabos ligados a um contador e a mente dela, iluminada, estivesse a ser alimentada por um sistema de ligação direta à minha carteira.

 

De entre as muitas coisas que a cigana me disse e que, por várias vezes, e sempre de forma impressionante, acertou, destaco o facto de ela ter “visto” uma viagem para o exterior, uma viagem para breve, uma viagem para fora de Portugal.

 

[E não é que ela tinha razão. No dia seguinte, estava em Barcelona.]

 

E quando eu achava que a consulta tinha terminado, eis que surge a derradeira “visão”:

 

– Você tem uma grande amarração que tem de ser desfeita para ser bem-sucedido na vida.

 

– Sim?!... E isso é coisa para me custar quanto?

 

– 100 euros!

 

E eu?!

 

Só não paguei porque estava de viagem para Barcelona e o dinheiro poderia fazer-me falta...

 

No final:

 

«São 40 euros!» – exclamou a cigana depois de ter lido as minhas duas mãos e as duas mãos da minha então namorada, atual esposa.

 

[Sim, a minha esposa também deu as suas mãos para a cigana “ler”. Aliás, a ideia de lá irmos foi toda dela. E, depois disto, eu ainda casei com ela…]

 

«QUARENTA?! Então não eram 10 euros» – perguntou a minha namorada, tentando redimir-se.

 

«Eram 10 euros por cada mão: 4 mãos, 40 euros!» – retorquiu a cigana.

 

[Matematicamente, nada a dizer. Aliás, nem sabia que os ciganos percebiam mais de matemática do que de quiromancia.]

 

Enfim, pagámos 20 euros e seguimos o nosso caminho…

 

[Escusado será dizer que, mal cheguei a Barcelona, fui roubado na estação de metro da Sagrada Família: 40 euros custou-me o raio da praga da cigana.]

 

Porque é que me lembrei disto agora?!

 

Porque, passados mais de 8 anos, sinto que a amarração persiste: não sou empresário, estou (parcialmente) desempregado e não viajo de férias há mais de dois anos. Neste momento, já só penso voltar a Lisboa e pagar os 100 euros ao raio da cigana!

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Sigam-me

Subscrever blogue

Subscrever...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Facebook

YouTube

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D