Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sem Sentido

Um blogue sem sentido... de humor!

04
Fev21

Diogo Faro, sei o que fizeste no Natal passado...

Diogo Faro.jpg

 

E isto é o que mais me preocupa, porque hoje ele pode ser um humorista ou ativista, mas amanhã poderá ser um político ou governante. E se há alguém que é falso e hipócrita enquanto humorista ou ativista imaginem o que não poderá ser como político ou governante. Às tantas, tem uma suástica tatuada num mamilo e a cara de André Ventura no outro...

 

 

data-mobile="true">
31
Jan21

O humor não tem limites...

Humor.jpg

 

As piadas não matam. Nem fazem mal a ninguém. Muito pelo contrário. Fazem-nos bem. Porque nos fazem rir. Porque nos fazem pensar. Porque nos podem fazer tudo aquilo que dito de outra forma não o fariam. E quando não o fazem, não fazem mal na mesma. E é por isso que eu acho que o humor nunca deveria ser censurado. Nem o humor nem os humoristas. Deveriam ser todos livres de dizerem o que quisessem e bem entendessem sem correrem o risco de serem insultados, ameaçados ou até mesmo agredidos. Para mim, o humor não tem limites. A inteligência é que tem, mas só a de alguns!

 

 

data-mobile="true">
23
Jan21

Vão votar...

Eleições.jpg

 

Nas próximas eleições, votar não é apenas um ato de cidadania. É muito mais do que isso. É um ato de coragem e sensatez. E é exatamente isto que me preocupa: que as pessoas mais sensatas tenham medo de ir votar por causa da COVID-19 e as mais insensatas, aquelas que não têm medo de nada, saiam todas de casa para ir votar em alguém que quer destruir aquilo que outros conquistaram com muito custo, nomeadamente alguns direitos fundamentais consagrados na Constituição da República Portuguesa. E é por isso que eu vos digo: VÃO VOTAR!

 

 

data-mobile="true">
20
Jan21

Confinemo-nos nas igrejas...

Confinamento.jpg

 

Se é por causa dos comes e bebes, não se indignem. Agradeçam, pois com o aumento do desemprego e da pobreza extrema que se adivinha, é muito provável que aquilo que hoje não passa de uma simples hóstia possa vir a tornar-se num pequeno-almoço – ou até mesmo na única refeição diária – nos dias de amanhã. E é por isso que eu digo: confinemo-nos nas igrejas e imploremos a Deus, Nosso Senhor, que nos venha salvar...

 

 

data-mobile="true">
10
Jan21

Falei com Deus...

Deus.jpg

 

Não, não morri. Também não fui a uma igreja. Não fui para debaixo de uma azinheira nem tão-pouco rezei. Simplesmente pensei. Pensei muito. Pensei profundamente. E falei... Falei com Deus. Sim, com Deus. E não sou católico. Nem crente. Sou ateu. Mas assim que Ele respondeu à minha primeira pergunta, não perdi a oportunidade de Lhe colocar todas as minhas questões. E obtive todas as respostas. Falei com Deus sobre a COVID-19 e nunca uma conversa foi tão profícua... 

 

 

data-mobile="true">
06
Jan21

Soul: Uma tragédia nas redes sociais...

Soul.jpg

 

A sério que começámos o ano a falar à toa sobre racismo, representatividade e inclusão social por causa de um filme de animação, com comentários mesquinhos e intriguistas e uma petição pública que reclama uma nova versão portuguesa do filme com «vozes negras», tudo porque a dobragem do filme foi feita exclusivamente por atores brancos? Eu não sei se vai ser criada uma nova versão portuguesa do filme, mas, a ser criada, não mudem as vozes. Mudem apenas o nome: Soul – Uma aventura nos ecrãs, uma tragédia nas redes sociais...

 

 

data-mobile="true">
02
Jan21

Falemos de amor...

Amor.jpg

 

Falemos de amor. Sim, de amor. Do sentimento que induz a aproximar, a proteger ou a conservar a pessoa pela qual se sente afeição ou atração. Do sentimento que se tem por um pai, por uma mãe. Por um filho. Por um irmão. Por um avó, por uma avô. Do sentimento que se tem por alguém que não se quer perder. Nunca. Do sentimento que se tem por alguém que se quer muito que esteja ao nosso lado. Do nosso lado. Sempre. Para sempre. Do sentimento que se sente por alguém que, estando ausente fisicamente, está sempre presente na nossa memória, no nosso pensamento, no nosso coração. Do sentimento que se tem por alguém que nos deixa saudades. Muitas saudades. Saudades dos bons momentos, dos melhores momentos, dos momentos mais felizes. Do sentimento que não tem limites, que ultrapassa barreiras, que supera obstáculos. Do sentimento que causa dor, angústia e sofrimento quando se sente que não é correspondido. Exteriorizemo-nos. Coloquemo-nos do avesso. Sem tabus. Sem medos. Sem vergonha. E falemos de amor, do verdadeiro sentimento, do amor verdadeiro!

data-mobile="true">
31
Dez20

Bom ano novo...

Fogo-de-artifício.jpg

 

Para muitos, foi um ano para esquecer, um ano de pandemia, confinamento, medo, incerteza e solidão. Para outros, foi um ano de de ciência, de investigação, de conhecimento, de descoberta. Para outros ainda, foi um ano como os outros, como se não houvesse COVID-19. Para mim, foi um ano de reflexão e gratidão, não só por isto, mas também: obrigado, novo coronavírus, por me teres dado a conhecer melhor as pessoas que me rodeiam. Sem ti, nunca saberia que havia tanta gente estúpida e irresponsável. Bom ano novo... 

 

 

data-mobile="true">
29
Dez20

Ai a COVID-19 e a vacina, foda-se...

Vacinas.jpg

 

Primeiro não acreditavam em nada disto da COVID-19. Era tudo invenção. Depois já acreditavam e queriam uma vacina com urgência. Entretanto, a vacina chegou, mas não queriam ser "cobaias". Os médicos que a levassem primeiro. Os profissionais de saúde começaram a levar a vacina e logo começaram a dizer que deviam ter começado pelas pessoas que pertencem aos grupos de risco. Entretanto, parece que as vacinas estão a ser um sucesso e agora o assunto é outro: os lucros das empresas da indústria farmacêutica, que deverão disparar com a venda das vacinas contra a COVID-19. Eu até nem sou de falar mal, mas já não há paciência para estas pessoas, FODA-SE! 

 

 

data-mobile="true">
27
Dez20

Obrigado, novo coronavírus, por este Natal...

Natal 2020.jpg

 

Para muitos, foi um Natal normal, igual a todos os outros: com grandes convívios familiares, de casa em casa. Para mim, não foi um Natal anormal, mas foi diferente de todos os outros: em convívio com apenas o meu agregado familiar e sem sair de casa. De anormal, só mesmo o tempo: trovões, relâmpagos, vento e chuva, muita chuva. Ah, e granizo, com pedras do tamanho de cubos de gelo que davam para servir bebidas até o final do ano. E talvez fosse este o objetivo de São Pedro: que saíssemos à rua e começássemos já a brindar ao ano novo!

 

 

data-mobile="true">

Sigam-me

Subscrever blogue

Subscrever...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Facebook

YouTube

Água no bico

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Blogs Portugal