Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Sem Sentido

Um blogue sem sentido... de humor!

30
Jul17

Se te portas mal,... ofereço-te um "tablet"!

Tablets.jpg

 

Já repararam na educação que os pais oferecem atualmente aos filhos?

 

Para mim, uma educação cada vez mais incompreensível, não no sentido pejorativo, claro, mas no sentido de ser necessário estar em constante atualização para a compreender. São versões atrás de versões que nunca mais acabam e que não estão ao alcance da inteligência – e do bolso também – de um qualquer pai/mãe e/ou professor, até porque a maioria é já do século passado e não entende muito bem isto do funcionamento das novas tecnologias, nomeadamente de tábletes. Sim, TÁBLETES, aqueles aparelhos eletrónicos que dispõem de inúmeras funcionalidades educativas que fazem das nossas crianças cada vez mais seres humanos sobredotados e autodidáticos.

  

[Para os menos instruídos e/ou defensores do uso de estrangeirismos, um pequeno contributo para a vossa instrução: «tábletes» em português, «tablets» em inglês; para os mais ignorantes e/ou que têm a mania das grandezas: um iPad é um "tablet"; para os mais instruídos e/ou defensores da língua portuguesa, mas que ainda assim se esquecem de esdruxulizar as palavras: «tabletes» (palavra grave, sem acento gráfico) são barras, regra geral, retangulares, de uma substância sólida consumível, como, por exemplo, chocolate.]

 

É verdade. Se há algo que está mais do que provado é que um táblete é um aparelho indispensável na educação de uma criança. Funciona e de que maneira.

 

Não sei se já repararam, mas as crianças de hoje em dia, quando têm um táblete nas mãos, ficam muito mais atentas e concentradas a tudo o que veem e/ou ouvem... veem e/ou ouvem no táblete, claro.

 

O que é que as crianças tanto veem e/ou ouvem no táblete?!

 

Digamos que TUDO. Na prática, veem e/ou ouvem mais do que os pais –ignorantes, coitados – viram e/ou ouviram até então; veem e/ou ouvem mais, mas mesmo muito mais, do que poderão vir a ver e/ou a ouvir numa escola.

 

Isto significa que as "nossas" crianças já não precisam de ir para a escola aprender?!

 

Se já tiverem um táblete com acesso à Internet, sim. Se (ainda) não tiverem, não. Neste último caso, as crianças terão de ir para a escola, mas só até que os seus pais percebam que que é muito mais económico e eficaz comprar um táblete (de preferência, um "iPad") com acesso à Internet do que levar os filhos todos os dias à escola.

 

Mas, e aprender a ler e a escrever, também conseguem através do táblete?!

 

Ler?! Escrever?! Mas nunca ouviram dizer que há imagens que valem mais do que mil palavras?!...

 

E os "céticos" dirão:

 

Mas este tipo de educação só afasta os pais dos filhos e destrói, por completo, o verdadeiro conceito de família enquanto instituição.

 

E eu logo respondo:

 

Nada mais errado. Oferecer um táblete a um filho é, quanto a mim, a melhor forma de os pais se aproximarem dos seus filhos... sem levarem um estalo.

Não sei se já repararam, mas, antes de aparecerem os tábletes, era muito comum assistirmos a cenas de violência nos supermercados entre os pais e os filhos (de 3, 4, 5 anos): o filho a bater e o pai e/ou a mãe a apanhar(em), claro. Atualmente, com os tábletes, praticamente já não se veem estas cenas feias entre os pais e os filhos porque a atenção que o filho antes precisava – e que os pais não davam – está agora, literalmente, nas mãos da criança. O conhecimento e a informação que os pais e/ou os professores levavam anos para transmitirem aos seus filhos e/ou alunos está agora ao alcance de um simples toque digital.

 

«Se te portas mal, ofereço-te um "tablet"... que é para aprenderes!»

 

E é com estes "tablets" que estes filhos aprendem a viver e será com estes filhos que estes pais aprenderão a morrer...

 

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

YouTube

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D