Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Sem Sentido

Um blogue sem sentido... de humor!

12
Jul18

Jantares com amigos?! São sempre terapêuticos...

Jantares com amigos.jpg

 

Assim que eu casei e comecei a viver com a minha esposa, jantares com amigos foi o que mais não faltaram cá em casa. No primeiro ano, talvez uma média de um jantar por mês. No último ano, uma média de um jantar por ano.


Sim, é verdade, o último jantar que nós fizemos com amigos cá em casa foi há mais de um ano, mas lembro-me perfeitamente como se fosse ontem: quatro pessoas sentadas à mesa a comer e a conversar sobre coisas do seu quotidiano, como, por exemplo, do seu relacionamento e das "virtudes" da sua "cara-metade".

 

De entre as muitas frases que se ouviu no jantar, gostaria de destacar as seguintes:

 

«Eu não quero casar.»

 

«Eu nunca quis casar.»

 

«Tu não és o amor da minha vida.»

 

«Eu não queria ter filhos.»

 

«Qualquer dia tens as malas à porta.»

 

«Ele passa mais tempo na casa de banho do que comigo.»

 

«Se tivesses umas mamas e uma vagina, ia já viver contigo.»

 

Enfim, muitas outras frases poderia eu destacar, mas acho que estas resumem muito bem o quão interessante foi o jantar entre dois casais de amigos que se revêm um no outro.


Analisando, assim, à primeira vista, até pode chocar alguns casais que se amam muito e se acham bem mais felizes do que outros, mas é claro que estas frases têm todo um contexto e uma explicação (para além do vinho e da cerveja, claro).

 

Por exemplo, a frase «eu não quero casar» foi dita no seguinte contexto:

 

– Olha lá, tu nem sequer me pediste em namoro, como é que eu poderia casar contigo?

 

– Pois não, mas se eu te dissesse que queria casar, tu casavas, não casavas?

 

– Eu não.

 

– Mas… E se eu quisesse muito?

 

– Deixava-te, porque não ia ter paciência para levar com essa conversa o resto da minha vida.

 

Ou então «tu não és o amor da minha vida»:

 

– Tu não és o amor da minha vida porque eu não sei quanto tempo é que vou viver.

 

– Pelo que estou a ver, não me parece que vais viver muito mais tempo. Aliás, é o tempo de chegares a casa...

 

Ou ainda «Ele passa mais tempo na casa de banho do que comigo»:

 

– Olha lá, quantas vezes vais à casa de banho?

 

– Eu?! Depende...

 

– Sim, mas quanto tempo é que demoras cada vez que lá vais?

 

– Depende, se levar o telemóvel, posso demorar 30 minutos.

 

– Pois, ele leva o portátil!

 

[Tinha de sobrar para mim, claro.]

 

E pronto, muito mais frases poderia eu citar e explicar, mas acho que já perceberam como é que funciona isto de jantares com casais. Aliás, melhor do que isto, só mesmo um psicólogo, que foi o que nós aconselhamos uns aos outros no final do jantar.

 

Mas para que não pensem que este foi o meu último jantar com amigos cá em casa porque, depois disto, divorciámo-nos, fiquem sabendo que nós continuamos juntos e muito felizes: eu com a minha esposa e dois filhotes; eles, um com o outro e uma filhota!

 

Sigam-me

Subscrever blogue

Subscrever...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Facebook

YouTube

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D