Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sem Sentido

Um blogue sem sentido... de humor!

07
Fev19

Carros elétricos e... candeeiros a petróleo!

Carros elétricos.jpg

 

Em 2009, Portugal foi distinguido internacionalmente como líder na produção de energia renovável e considerado um dos dez países mais atrativos do mundo para se investir nesta área. Em maio de 2018, o Governo português aprovou a prospeção de petróleo em Aljezur. Portanto, tendo em conta as previsões do atual ministro do Ambiente, e a se confirmar a existência de petróleo em Aljezur, prevê-se um aumento exponencial na produção de candeeiros a petróleo nos próximos anos...

 

A semana passada foi marcada por declarações polémicas do atual ministro do Ambiente (e da Transição Energética), Pedro Matos Fernandes, que disse, e passo a citar, «hoje é muito evidente que, quem comprar um carro diesel, muito provavelmente daqui a quatro ou cinco anos não vai ter grande valor na sua troca». Mais disse que «na próxima década, não vai fazer sentido comprar um carro a gasóleo porque já serão muito próximo os valores de aquisição de um carro elétrico e, se for carregado em casa, o preço do quilómetro fica a 15%». E é por isso, disse ainda, que «os condomínios e as casas têm de se preparar para ter na garagem, como quem tem uma torneira de água, um posto de carregamento.»

 

Apesar de as declarações do atual ministro do Ambiente estarem cheias de boa intenção, nomeadamente no que diz respeito à redução de emissão de gases poluentes para a atmosfera, a verdade é que não caíram bem junto da Associação Automóvel de Portugal (ACAP), que muito se preocupa com os lucros da indústria automóvel. Segundo a ACAP, as declarações do ministro do Ambiente «não têm qualquer correspondência com a realidade», sendo que «a indústria automóvel está fortemente empenhada na redução de emissões dos veículos» e que «a prova deste compromisso é de que 40% dos novos modelos anunciados para 2021 já terão a opção da motorização elétrica».

 

Mais do que a ACAP, quem não deve ter gostado mesmo nada das declarações do atual ministro do Ambiente foi o atual primeiro-ministro, António Costa, já que mais de 70% das viaturas do Estado são a gasóleo, muitas delas adquiridas já depois de este Governo ter tomado posse. Já diz o povo «casa de ferreiro, espeto de pau», mas isso agora não interessa nada. O que interessa mesmo é ver que o atual ministro do Ambiente está empenhado em fazer diminuir a circulação de veículos poluentes em Portugal. É isso e o papel do Governo na questão das energias renováveis. Senão vejamos:

 

  • Em 2009, Portugal foi distinguido internacionalmente como líder na produção de energia renovável e considerado um dos dez países mais atrativos do mundo para se investir nesta área.
  • Em 2016, Portugal foi o sétimo país com a maior quota de utilização de energias renováveis da União Europeia, de acordo com o relatório elaborado pela Agência Europeia do Ambiente.
  • Em abril de 2018, o então secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, sublinhou que Portugal «tem grandes condições para se tornar num dos primeiros países do mundo» a depender exclusivamente de fontes de energia renovável e que, no que depender do Governo português, «será o mais rápido possível».
  • Em maio de 2018, o Governo português aprovou a prospeção de petróleo em Aljezur.

 

Portanto, tendo em conta as previsões do atual ministro do Ambiente, e a se confirmar a existência de petróleo em Aljezur, prevê-se um aumento exponencial na produção de candeeiros a petróleo nos próximos anos...

 

data-mobile="true">

4 comentários

Comentar post

Sigam-me

Subscrever blogue

Subscrever...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Facebook

YouTube

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D